Mais uma vez o Agronegócio

0

Com o avanço da COVID 19 pelo mundo, a recessão global parece inevitável e a economia brasileira entrará em um ciclo deprimente. Neste cenário o agronegócio novamente está sendo escalado para salvar o país do abismo que se aproxima.

Mas como proteger o seu agronegócio dos riscos inerentes a sua própria atividade?

Nos últimos anos, o seu agronegócio tornou-se mais complexo devido a vários fatores, tais como a necessidade de adoção de novas tecnologias de produção, regulamentações locais, nacionais e internacionais, intenso escrutínio público, preços voláteis das commodities e a atuação agressiva dos fundos especulativos, a diferenciação das taxas de juros por parte das instituições financeiras, avessas ao risco, conforme o perfil do tomador e, não menos importante, o constante aumento das exigências por parte do consumidor.

Deste modo, o seu agronegócio está expostos a uma série de riscos, que podem ser classificados como de mercado, de crédito, de liquidez, operacionais, ambientais, tecnológicos, regulatórios, entre tantos outros. O risco de que o orçamento e o fluxo de caixa projetado inicialmente não sejam atingidos acaba sendo uma constante. E cabe ao agronegócio, assumi-los todos.

Para o seu agronegócio obter os resultados esperados é crucial estar totalmente capacitado e comprometido em gerenciar seus riscos.

Crucial para a sua sobrevivência e para atender as expectativas da sociedade brasileira. Isto não é uma tarefa fácil e infelizmente o Ministério da Agricultura (MAPA) não promove a capacitação do setor neste tema. Apenas oferece, de forma restrita e insuficiente, um programa de seguro rural.

O seu agronegócio necessita de uma estratégia integrada, bem coordenada e sistematicamente aplicada. Para isto é necessário criar uma unidade bem estruturada, uma política cuidadosamente definida, um comitê de gestão dos riscos imparcial e, principalmente, a liderança da alta gestão.

Você precisa estar capacitado para implantar uma estrutura integrada e gerenciar seus riscos.

Uma estrutura integrada de gestão dos riscos é um dos principais fatores de sucesso para o seu agronegócio realizar uma gestão eficaz.

A estrutura necessária, coordena as “linhas de defesa” em todas as unidades operacionais e funcionais, permitindo ao seu agronegócio, manter a vigilância e a supervisão das operações para identificação, avaliação, mitigação, comunicação e monitoramento de riscos que podem ter um impacto adverso no indicadores de resultados e na capacidade do seu agronegócio em atingir os objetivos estratégicos.

Como demonstrado na figura, a gestão dos riscos não é um seguro que você adquiri para evitar o não pagamento de seus fornecedores e investidores. A gestão dos riscos é a adoção de melhores práticas de infra-estrutura, políticas e metodologias, permitindo uma melhor gestão dos limites de risco aceitáveis.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Abaixo alguns riscos, entre tantos outros, que podem estar presente no seu agronegócio e que deveriam estar sendo abordados de forma integrada, afinal, risco é parte integrante de sua atividade.

Riscos Estratégicos

• Conjuntura – a possibilidade de resultado adverso decorrente de movimentos externos ao seu agronegócio ou alterações das condições econômicas, sociais e regulatórias.

• Planejamento – o planejamento e a previsão inadequada podem limitar a capacidade de antecipar e responder a mudanças internas e externas, ameaçando sua capacidade de tomar boas decisões e aproveitar as oportunidades de crescimento.

• Recursos de produção – os recursos estão cada vez mais limitados; portanto, a indisponibilidade ou limitação, total ou parcial destes recursos ameaçam a capacidade de crescer e alcançar objetivos estratégicos.

Riscos Financeiros

• Mercado – a possibilidade de perda ocasionada por um movimento adverso nos valores dos ativos e passivos do seu agronegócio, causada por mudanças nas condições de mercado das taxas de câmbio, de juros, dos preços de seus produtos e insumos de produção e de outros índices, individualmente ou em conjunto.

• Crédito – esta associado ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte, de suas obrigações financeiras nos termos e prazos pactuados, gerando inadimplência ou atraso na liquidação de obrigações, resultando em perda financeira para a parte credora.

• Liquidez – O acesso insuficiente ao capital disponível ameaça a capacidade do seu agronegócio de crescer, executar seu modelo de negócios e gerar retornos.

Riscos Operacionais

• Pragas e doenças – a infestação de pragas e doenças pode resultar na redução da produtividade.

• Saúde e segurança – a falha na implementação de um sistema de saúde e segurança ocupacional para proteger os colaboradores contra acidentes e melhorar suas condições de saúde pode expor o seu agronegócio a custos excessivos associados a obrigações de compensação, perda financeira, reputação negativa e possível perda da vida.

• Risco de Segurança da Informação – a possibilidade de perda decorrente de quebra de confidencialidade, falta de disponibilidade, ausência de integridade ou falha na autenticidade das informações necessárias aos processos.

• Conflito social – O conflito existente com as comunidades locais pode afetar as operações do seu agronegócio, resultando em acesso limitado ou controlado a áreas críticas, custos operacionais mais altos devido à incapacidade de operar com eficiência e, assim, ameaçando a segurança de seus colaboradores.

• Desastres naturais – desastres como inundações, secas, incêndios, etc., podem resultar em danos à propriedade, paralisações ou atrasos nas operações, menor produtividade, custos operacionais mais altos e falha no fornecimento de produtos aos clientes do seu agronegócio.

Riscos de Conformidade

• Conformidade Fiscal – O gerenciamento da conformidade fiscal e exame de autoridade tributária inclui o risco de falha na identificação e prevenção de riscos legais decorrentes da não conformidade com as regras e regulamentos governamentais e jurisdicionais locais e nacionais, para conformidade tributária e negociações com autoridades tributárias jurisdicionais.

• Ambiental – O não cumprimento das leis ambientais pode expor o seu agronegócio a sanções regulatórias, protestos públicos, problemas de segurança e imposição de multas e penalidades pelo governo.

LUIZ FERNANDO ABUSSAMRA

Graduado em Agricultura pela Universidade de Minnessota EUA, Bacharelado em Economia pela FEA/USP, MBA em Derivativos pela BMF/USP. Governança Corporativa pelo IBGC. Professor convidado de Análise e Gestão de Riscos de Programas de MBA em Finanças, Controladoria, Administração e Extensões Curriculares da UFSCAR, FAAP, PECEGE/ESALQ, FUNDACE/USP, FIPECAFI/USP, DOM CABRAL, entre outras.

Profissional com carreira desenvolvida nas áreas Comercial e de Gestão de Riscos de empresas de grande porte, multinacionais e nacionais, atuantes no agronegócio. Competência extensiva a Governança, Risco e Compliance (GRC) e Enterprise Risk Management (ERM) e grande experiência na estruturação e organização de divisões, políticas e programas de gerenciamento de riscos em empresas ligadas ao Agronegócio.

Sócio da Consultoria Empresarial Agronomics, focada na Gestão dos Riscos do Agronegócio

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email